Páginas

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Mais um de drama

A minha vida é uma eterna luta contra o padrão (podrão), a favor do que já não tem mais valor, do que foi esquecido e do que já foi banido do meio social humano.
Mas como lutar para preservar a essência, quando isso é motivo de graça, não da graça, mas de graça, te olham e riem de você, te chamam de dramático e sentimental, estes, que já se dobraram ao padrão mundial da beleza, aos valores invertidos, e são apenas uma casca bem definida e uma embalagem bem produzida com conteúdo podre ou simplesmente vazio...
Te falam pra ser você, pra ter atitude, criam frases bem elabordas e imagens tocantes nas redes sociais, mas se o seu conteúdo não for baseado nas condições reais do mundo, então você não serve! Irônico, não?!
Rótulos, todo o produto tem que estar de acordo com as informações nutricionais da embalagem para ser aprovado e provado...
E no final, você sempre acaba sozinho, afinal, pessoas rasas não tem espaço para compartilhar conteúdos profundos, já estão completamente cheias de suas vidas medíocres...
Os sentimentos gritam, alarmam suas necessidades de serem expressados, mas quem os ouve? Todos, todos os ouvem, mas ninguém os reconhecem, foram esquecidos, trocados pela imensidão do nada, do "minha situação fútil é mais importante que esse drama, faça sexo que passa!"
O mais irônico é que as pessoas só se desfazem do que precisam, gostam de acumular tranqueiras e no final, se arrependem dos seus preços baratos e da sua vida cheia de aparências e vazia do resto todo. Restos, é assim que definem os sentimentos, é assim que definem a vida...

terça-feira, 15 de julho de 2014

Poema do Homem Cobra

E antes que você pense que eu faço parte da sua extensa lista de mulheres afins, que seriam capazes de te dar o que for pra te surpreender, enfim, eu te digo amigo, não se anime, eu não sou assim, e por mas que possa ter passado pela minha mente essa possibilidade, esquece, eu não sou capaz de tal coisa só para ser mais uma sem identidade...
Se contente, se lamente, se delicie com quem quiser.
Eu não sou objeto pra tuas aventuras sem parada, banais, não sou as outras com quem ta acostumado, não bajulo e não corro atrás.
Se deite, se levante, ande, viaje como quiser...
Mas sonhe, um dia, quem sabe, terá a sorte de ter nos seus braços uma verdadeira Mulher!

segunda-feira, 2 de junho de 2014

15 anos

Eu to me apaixonando pelo que eu criei de você.
Sabe aquelas histórias que passam na mente com direito a todos os detalhes, quando eu sou eu e não te assusto com tamanha sensibilidade, medo,  doçura e ansiedade, tudo em dose extra em um só coração, e você se apaixona por mim mesmo assim, só que eu quase estrago tudo querendo cortar esse sentimento simplesmente por não ter mais 15 anos e porque a sua amizade é importante demais para eu estragar com meus deslizes sentimentais...
Enfim, o medo de sofrer de novo, de me iludir, me faz cancelar qualquer possibilidade de imaginar que você pensa em mim como alguém fora da zona de amigo, aí, como alguém que nunca existiu, que eu nunca conheci, que tem a coragem que eu sempre sonhei, que tem a sensibilidade e o romantismo que eu sempre sonhei, você não desiste, você luta por mim, você se declara, você manda todo o meu medo pro vão e diz que somos imperfeitos e vamos aprender a lhe dar com isso e quando eu começo a falar que você é muito mais além do que eu mereço você me cala com um beijo e depois segura meu rosto com doçura e diz que toda vez que eu falar besteira você vai me calar, que vai me fazer feliz e que seremos felizes juntos e conclui dizendo que você é uma cara comum, que eu sou uma menina mulher com qualidades difíceis de se encontrar, que eu sou linda, divertida, sensível, amiga, carinhosa, que se fosse por merecimento era você quem não me mereceria...
Essa história não acaba, porque tudo que acaba perde a graça na minha cabeça e não é nenhum terço do que eu penso do que eu imagino, do que eu me apaixono pelo que você é,pra mim, nas minhas ilusões criadas com todo o cuidado que provavelmente não tem nada a ver com a realidade...

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Diário de cabeceira

Querido diário,
Sabe aquela noite sem dormir em que pensamos em tudo e mais um pouco a respeito da nossa vida, de como ela tá chata e monótona e de quanta balela todo mundo fala a respeito de viver e de como se deve viver e de como podemos mudar o que quisermos...
Passei por isso recentemente ou talvez eu esteja passando agora, enfim, toda uma vida de 25 anos me passou pela cabeça, foi aí que eu comecei a pirar...
É como num filme onde alguém muito doido chega pra um rotineiro sem razões e pergunta: " E aí cara, o que você ta fazendo pra viver a vida?  Porque ela ta passando e daqui a pouco você será um velho vazio, sem histórias pra contar, dando conselho pros seus netos viverem a vida intensamente...
E não é de drogas, álcool e sexo que eu to falando, é de fazer o que se tem vontade, é de ser livre das prisões da rotina e do capitslismo selvagem, não quero dizer ser miserável ou odiar o dinheiro mas não ter a necessidade de passar a vida inteira trabalhando com o "objetivo" de ter uma vida melhor e não viver absolutamente nada e depois morrer...
Interessantíssimos os fardos que jogam nas nossas costas:
" você tem que estudar para arrumar um bom emprego, você precisa de uma rotina e fazer tudo o que mandam simplesmente porque a sociedade diz que sim!"
Aí a pessoa lê e pensa, "nossa mas ela não gosta de trabalhar"... muito pelo contrário sociedade burra, eu amo a minha profissão e acredito que todos deveriam amar o que fazem pra fazer com excelência, só que há uma grande diferença entre trabalhar para viver e viver para trabalhar...
Ta, esse assunto me abre um leque de situações exemplo além do trabalho, na qual eu possa me expressar...
Mudando de rumo ou não, vou falar de mim, vivo em uma cidade que não gosto, aliás o único lugar que gosto aqui é a minha casa, tenho pouquíssimos amigos e quando não estou trabalhando estou em casa o tempo todo, só saio de final de semana, fora isso, nem boto a cara na rua!
Aí nesta noite em claro começo a pensar em como meus dias estão passando sem que eu faça absolutamente nada do que tenho vontade, e me pergunto por que sou covarde a esse ponto, será que existem mais pessoas assim ou sou um caso a ser estudado?!
Não, não é depressão, eu só fico absolutamente entediada e cansada com tanta gente me dizendo "faz isso" "seja assim" "isso pode" "isso não pode", gente, vocês não podem imaginar o quanto isso é capaz de brecar a vida de alguém, e não to falando financeiramente, to falando de vida, de viver, do cara lá do programa que vive no limite, escala montanhas, come minhocas e enfrenta animais selvagens que você acha louco...
Mas louco por que? Ele está vivendo a vida dele da maneira que gosta e se sente livre e com certeza terá histórias hilárias pra contar, ao contrário de você que fica aí com a bunda sentada no sofá e com vontade de fazer coisas parecidas....
Chega uma hora em que há valores e preços e você terá de escolher por quem será guiado, se você terá sido feliz até hoje, caso receba a notícia que só tem mais uma semana de vida, e o que você faria nessa semana? Que tal por em prática tendo a vida inteira pela frente? A morte é a mesma, mesmo que não tenha sido avisada antes ...
E você, é feliz?

Camila Juliana de Souza, 25 anos, Maquiadora.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Pobre rima

Difícil é começar...
Ou recomeçar...
Difícil é expor, repor, transparecer, ser...
Difícil é escrever, é começar dizer..
Difícil é saber o que sem saber descrever
E nas rimas que dão certo, combinam o tudo do sentimento, o tudo da saudade e o nada do ter...
Do ter palavras, versos ou frases que sejam capazes de expressar...
De expressar o tão guardado tudo, tudo de sentimento, tudo de dor, tudo de amor, tudo de medo...
E o nada de palavras e o pobre texto...
Nada faz sentido...

LinkWithin

Espalhe por aí