Páginas

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Mais um de drama

A minha vida é uma eterna luta contra o padrão (podrão), a favor do que já não tem mais valor, do que foi esquecido e do que já foi banido do meio social humano.
Mas como lutar para preservar a essência, quando isso é motivo de graça, não da graça, mas de graça, te olham e riem de você, te chamam de dramático e sentimental, estes, que já se dobraram ao padrão mundial da beleza, aos valores invertidos, e são apenas uma casca bem definida e uma embalagem bem produzida com conteúdo podre ou simplesmente vazio...
Te falam pra ser você, pra ter atitude, criam frases bem elabordas e imagens tocantes nas redes sociais, mas se o seu conteúdo não for baseado nas condições reais do mundo, então você não serve! Irônico, não?!
Rótulos, todo o produto tem que estar de acordo com as informações nutricionais da embalagem para ser aprovado e provado...
E no final, você sempre acaba sozinho, afinal, pessoas rasas não tem espaço para compartilhar conteúdos profundos, já estão completamente cheias de suas vidas medíocres...
Os sentimentos gritam, alarmam suas necessidades de serem expressados, mas quem os ouve? Todos, todos os ouvem, mas ninguém os reconhecem, foram esquecidos, trocados pela imensidão do nada, do "minha situação fútil é mais importante que esse drama, faça sexo que passa!"
O mais irônico é que as pessoas só se desfazem do que precisam, gostam de acumular tranqueiras e no final, se arrependem dos seus preços baratos e da sua vida cheia de aparências e vazia do resto todo. Restos, é assim que definem os sentimentos, é assim que definem a vida...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Espalhe por aí