Páginas

sábado, 19 de janeiro de 2013

Quando ela o vê não pensa no que passou, não pensa no que sofreu, não o olha com olhos acusadores nem perturbadores...
Ela simplesmente sente, como se diante dela estivesse alguém desconhecido que ela tivesse um sentimento antigo e intenso, por mais guardado e reprimido que estivesse, era íntegro, era limpo, pois era cuidado, preocupação, era o querer chegar mais perto e olhar nos olhos mas a prudência gritando para que não, para que se tornasse mulher, pois a fase de menina já passara...
Como alguém que ela não conhecia, ele estava lá na frente dela com aquele olhar diferente, ele sempre a conheceu, mas precisaria se apresentar, conquistar sua confiança e pedir a Deus para tê-la...
Enquanto isso ela ali, sentada no banco e a predominância da indiferença por fora...


terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Eu me sinto muito bem, eu guardo só lembranças boas, eu procuro ver somente o que fará meus olhos sorrirem eu lembro de tudo com aquele sorriso no canto dos lábios...
Não foi sempre assim, confesso que lutei para não esquecer minha essência, mas Deus sempre me carregou nos braços, então nunca corri risco de cair.
Por mais que tudo tenha acontecido dessa forma eu sinto a verdade em seus olhos, e isso me conforta.
Não sei exatamente qual verdade, mas sendo verdade já é um bom começo...

Opção Indiferença

Eu vejo aquele olhar, quase sempre sem querer de encontro ao meu, eu me sinto neutra, não sei se anestesiada ou se realmente prefiro convencer meu coração de que não vale mais a pena bater forte nem se manifestar de qualquer outra forma que não seja amar pelo amor de uma alma...
Nunca sei no que devo acreditar, se devo acreditar em algo que não seja somente a minha certeza aqui, intensa, pensando no que seja verdade ou mentira, no que há ou não há, e diante desse turbilhão eu prefiro não pensar, aí opto pela anestesia da indiferença.
Ouvi dizer que não é o Amor e o Ódio que andam juntos mas o Amor e a Indiferença, não sei...
Amor? Seria ainda, restaria ainda?
Pois a indiferença existe, ela me ajuda muito, ela me anestesia e o melhor de tudo é que ela é recíproca quase sempre, então, tenho a opção de querer ou não me preocupar, saber, ouvir, pra daí então, amar, sofrer, chorar... Opto pela reciprocidade da indiferença e continuar desinformada de qualquer ação, me alegrando (o que é pouco provável) ou não, pelo menos estou aqui e tenho minhas palavras digitadas pra poder falar.
Quem lê eu não sei, que gosta muito menos, eu sei que o meu maior prazer e poder dizê-las.
Se um dia você ler não diga a ninguém, ou não que eu saiba, não escondo de ninguém, pelo contrário a minha necessidade é publicar meus sentimentos, porém, prefiro continuar na opção Indiferença...

Rastros

Eu quero deixar bem claro que aqui é o lugar onde eu expresso os meus mais sinceros sentimentos, aqueles escondidos bem lá no fundo do peito, onde os olhares, os princípios, os valores não são capazes de descrever, aqueles que podemos ler e nos identificar, por tentar ser o mais simples possível nas palavras. Mas falar sobre sentimentos é complicado, principalmente quando vem de nós mesmos, as vezes eles são tão misturados tão confusos, estes, eu aprendi que devemos entregar nas mãos do Pai, pois qualquer tipo de confusão não provém Dele.
Estes aqui são ditos com todas as certezas que foram intensos, ou são, aí fica por conta de quem os lê, eu não me exponho a tal ponto...
Intensa é a maneira que eu encontro para conseguir por pra fora tudo isso, intensa e inteira, eu sempre fui, sempre sou em tudo o que sinto, e graças a Deus isso me tem rendido muitos desabafos que eu não consigo expressar através de palavras ditas, faladas. Desabafos saudáveis, não critiquem, eu sou cristã sim, mas nem por isso preciso viver guardada dentro de uma caixinha de acrílico sem jogar pra fora o que sinto, porque por mais que eu sofra por ser tão intensa, eu também sou intensamente feliz e intensamente grata ao meu Pai por me dar essa arma contra qualquer tipo de emoção acumulada que me cause mal...
O que está aqui sim, qualquer um pode ver, pode se identificar, mas ainda não é tudo que sou, não se tratam apenas de palavras, mas de verdades, porém, a minha maior verdade é a Palavra daquele que me criou e tem me ensinado a cada dia acerca dos sentimentos e emoções, meu Rei Jesus, Ele sim me conhece por completo, todas as minhas verdades, dores, medos, anseios, tudo além do que eu descrevo...
Eu estou aqui como parte de pessoas que não conseguem dizer por si mesmas, eu to aqui como alguém que sente, que vive, que ama, e se depois de todo este texto eu não admitir que Deus me deu essa missão serei hipócrita, pois até aqui consegui de maneira simples (ou não) expressar tudo o que estou sentindo, a verdade do meu peito, objetiva, meio confusa, porém, intensa...

sábado, 12 de janeiro de 2013

More than words...

Eu não me arrependo de ter sido ingênua  de ter doado o máximo de mim, de ter entregado meu coração inteiro e oferecido o meu amor por completo, as vezes até deixando muitos conceitos e mudando muita coisa por causa disso, sendo o que eu mesma não seria se não houvesse tal sentimento.
Tudo para agradar, melhoras em benefício do outro, amar sem medida, sem interrogação nem ponto final, apenas surpresas de exclamação e reticências que sejam eternas...
É isso que eu tenho pra dizer, não me arrependo de tudo o que fiz, vivi, sofri, pois em minha consciência eu mantenho intacta e quieta a certeza de que não foi por falta de sentimento nem de tentativas para que desse certo, e, digo sim, se não deu a culpa não foi minha.
Não me arrependo de ter amado sem medida e me preocupado até as vezes com sentimento materno, de ter zelado, cuidado e de ter medo de perder a ponto de querer segurar com unhas e dentes e lutar por quem nunca foi meu de verdade.
Não me arrependo de gritar aos ventos e postagens o meu sentimento, a minha transparência, a minha inquietação.
Eu sou assim, intensa, eu não escolhi ser assim, mas sou e dou o melhor de mim pra ser com verdade, pra agir com verdade e viver na verdade.
Tudo o que fiz por amor eu não me arrependo, pois esse é o maior dom que Deus me deu, amar, e tudo o que faço em benefício desse sentimento de obedecer esse mandamento eu não me arrependo, as vezes pode até doer e exigir menos de mim, menos ações e palavras, mas por esse sentimento meu coração pula e meus sentimentos gritam no silêncio da minha voz.
Tudo o que sei é que amei, é que não pesa sobre mim nenhum sentimento de culpa e que por mais que doa a circunstância presente, meu coração se fortalece, porque sei o que há pra mim, e quanto ao sentimento que dissera antes, acho que ele está aqui dentro, se realmente estiver, está sendo tratado, como um preso que paga pelos seus crimes e sofre na cadeia, está aqui sofrendo por ter sido tão intenso, porém se fortalecendo e aprendendo como se faz pra não se enganar da próxima vez.
Quando for solto talvez suma, talvez continue fazendo seu trabalho, só o que sei é que estarei preparada para continuar sendo intensa e me doando ainda mais, porém disponível para receber também,. para ser amada também, para ser recíproco tudo o que tiver de mim.



LinkWithin

Espalhe por aí