Páginas

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Sem explicação

Estes rabiscos saíram de uma lembrança daquelas que tiram um sorriso do canto dos lábios...
Aquele dia, lembro com ternura, a gente fazia planos e sabia o que queria, enxergávamos nosso futuro...
"Agora é pra casar" dizia você com um sorriso de quinze pras nove na frente de todo mundo, como se fosse o certo, e foi, por alguns dias...
Bom, o que houve depois não importa, o que eu quero é permanecer com esse sorriso no canto dos lábios, o que eu quero é levar pra sempre os bons momentos, as cócegas, os abraços, a certeza de que o que foi bom superou e supera até hoje o que foi ruim.
Estes rabiscos vem de um sentimento puro, sem julgamentos, sem razões, sem explicações...

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Despejando parte II Isso...

Um misto de amor e paz com uma agitação cruel que me faz querer ser vista, amada, que me faz querer ser esquecida, apagada...
Uns dizem ânimo dobre, outros transtorno bipolar, eu prefiro dizer que sou só eu mesma com uma pitada de liberdade...
Não, eu não estou "acomodada" me sentindo assim, já que para muitos vai soar como algo ruim, um jeito mal de se viver...
Assim como 99% da população "padrão" eu luto pra me tornar alguém melhor todos os dias, mas assim como 1% da população "anormal" eu sou o que sou, e gosto muito disso, disso eu, disso de ser eu, disso de admirar o pôr do sol enquanto os 99 estão muito cansados pra isso...
Repetidamente, meu 1% sobressai mais uma vez, mais um dia, e pôr que tentar mudar o que já nasceu assim?
Tá, pode dizer que é manipulação de quem não aceita mudanças mas alguém que vive em constante mudança não fará esse tipo de manipulação... ou fará?

Despejando parte I

Por pouco falar, aqui despejo meu turbilhão de sentimentos.
Quem ler as humildes palavras de uma mulher que aqui vos escreve pode até se identificar, porém, são apenas vestígios pessoais de mim por dentro refletido em singelas palavras com nem um pouco de eloquencia.
As perdas, todas elas, de um amor pequeno, mas amor, de um grande amigo, quase irmão, de oportunidades e o desejo de liberdade, tudo isso me faz pensar no quanto preciso jogar pra fora essa necessidade de liberdade.
As fases já não me são mais cômodas, afinal, é preciso ter uma direção certa senão como percorrer um caminho se não se sabe onde quer chegar?
Durante um tempo eu pensei, eu me revoltei, eu amei e odiei e quase desisti, cheguei a dar alguns passos em direção a desistência, mas não conclui esse caminho...
Mas desistir do que?
De ser aquilo que Deus me chamou pra ser, filha!
Desistir de tentar agradar a Ele, desistir do primeiro mandamento, que nunca deixou de ferver em meu coração mas que de alguma forma pensei na absurda e impossível possibilidade de ser uma mentira, enfim, o que se pensar diante das perdas deste mundo?
A única coisa que eu posso dizer pra tentar concluir esse monte de palavras confusas soltas é que eu jamais vou me arrepender do que sou, se Ele me fez assim, intensa, não me arrependerei de um dia ter amado e sofrido, de um dia ter me sentido inconformada diante da morte, de ser o que sou, assim, um poço de sentimentos, mesmo sendo vulnerável, sigo sentindo e aproveitando cada momento da vida, bom ou ruim e tenho no peito gritando essa necessidade de liberdade, meu corpo grita por estrada e todo o meu ser quer coisas novas, portanto, se você conseguiu ler até aqui e é uma pessoa próxima, procure não se apegar tanto em mim, procure dar o seu melhor sim pois o meu melhor sempre terá, mas com cuidado, eu não sou, nunca fui e nem pretendo ser de um lugar só...

terça-feira, 30 de julho de 2013

Mais um desabafo

Cansada de tudo, desse mundo ridículo onde pessoas vendem sua felicidade e o prazer de admirar os detalhes por um pouco de ostentação.
Cansada da hipocrisia alheia, de pessoas tão sem fundamento neste mundo que acham que enganam os outros mas na real enganam a si mesmas.
Cansada desse papel medíocre que "a sociedade" me colocou, onde eu tenho o dever de acordar, comer, viver pra ter dinheiro ou então eu nada posso, nada serei sem ele.
Cansada de depender de um povo que gasta bilhões num carro de luxo pra pagarem meu salário mísero, que por sinal, já estará todo comprometido na prestação de alguma loja, que superfatura simplesmente porque um povo mal informado e mal agradecido não sabe ser feliz com o que tem nem sabe gastar sua própria miséria!
Cansada de estar cansada, de tudo que é meu depender de mim, de crescer, de estar sempre no mesmo lugar, na mesma atividade, com as mesmas pessoas, a mesma vida!
Claro, se eu não fizer nada, ninguém fará por mim, mas ir em busca de crescimento, realizações, sucesso pessoal, será que é isso mesmo que eu quero ou é uma cultura imposta na qual nos acostumam como "propósito de vida"?
Eu só queria uma casinha no sertão pra viver la o resto da minha vida e que ninguém dependesse de mim, já que eu sou obrigada a me virar sempre. Virem-se, trabalhem! Parece egoísmo mas é só canseira...

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Single de uma história

Depois de muito tempo, me bateu uma vontade de escrever, de aflorar minha sensibilidade, aí me peguei pensando no que sinto quando escrevo...
Sabe aquele momento que todo mundo passa, quando precisa de palavras sinceras, quando uma situação exige que todo o nosso coração se resuma em palavras e neste momento não sabemos o que dizer, e muitas vezes perdemos uma tão sonhada chance por simplesmente nos esquecermos de quem somos, que somos sim capazes de sermos sensíveis e de sonharmos e de amarmos mesmo quando o mundo, a correria, o dia a dia nos toma por inteiros...
Ufa...to chegando lá ...
Então, é assim que eu me sinto quando não escrevo, consumida pela carrasca rotina, e é assim que eu me sinto quando escrevo, capaz de amar, com a sensibilidade aflorada e com o coração totalmente entregue as palavras...

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

As vezes me cansa o fato de TUDO ser mais difícil pra mim... #DESABAFO

Hoje acordei mais otimista...

Hoje me perguntaram, você está bem mesmo?
Eu não sabia o que responder...
Diante de tantos fatos e acontecimentos, coisas ocultas que não querem me contar e coisas reveladas demais que expõem minha capacidade de ser usada...
Mas eu me lembrei de um versículo, no qual Jesus (meu Salvador) diz: "No mundo tereis aflições, mas eu venci o mundo e vós também vencereis".
Sei que dias ruis virão, eles são necessários, mesmo que haja um aperto no coração e um gelo na alma, mesmo que Deus pareça estar distante, Ele sempre está lá, ao nosso lado quando ninguém está, ou simplesmente está na vida de alguém que vem iluminar nossa vida, ou só está lá esperando que falemos com Ele...
Da minha parte, ainda bem que Ele é Onipresente, pois encho o saco dele toda hora...(risos)
Enfim, se está bem, não sei responder, só sei que quem luta por mim está no combate, tenho que aprender a descansar...

É engraçado...

...As vezes eu acho que as pessoas pensam que eu sou uma total alienada, que usa o blog como uma maneira de se fechar para as pessoas e ao mesmo tempo expor seus sentimentos...
...É verdade!
É engraçado como meus pais se assustam quando veem minhas postagens nas redes sociais e acham que por algum motivo juvenil eu penso em me matar...(risos) Eu sei que está lendo isso pai e fica tranquilo, se eu pensasse em tamanha idiotice não compartilharia! (risos eternos)
A minha vida foi o maior presente de Deus pra mim nesta terra, é por Ele e para Ele que vivo, não desperdiçaria isso nunca!
Aliás, a quem já teve ou tem esse tipo de pensamento, um conselho, se você se matar pra onde você vai é milhões de vezes pior do que você enfrentar seus problemas de cara, fica a dica!
Aos meus leitores que eu sei, são poucos, mas que são fiéis e se identificam com minhas resenhas eu agradeço pela paciência, porque acreditem, eu só escrevo o que sinto e nunca pensei em ser popular ou ter milhões de seguidores e comentários e blábláblá...
Quem vos fala sou eu, eu de verdade, e vou muito bem, obrigada!

Não é tão difícil ser feliz quando a gente cresce, só é mais complicado...

Filme- As melhores coisas do mundo.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Caindo em contradição...

Contrariando tudo que eu disse antes, na certeza de ser uma completa palhaça de sentimentos, uma louca que não sabe o que diz, que simplesmente se expõe de maneira ridícula sem ter a noção do quanto pode estar se fazendo mal...
Não, eu não sei mesmo o quanto eu posso me prejudicar quando exponho meus sentimentos, eu só sei que se eu morresse daqui cinco minutos todos saberiam o que eu sentia e mais, saberiam que sempre fui verdadeira e corajosa o suficiente a ponto de ser intensamente amável e você totalmente incapaz de compreender isso!
Sim, eu estou movida de um sério sentimento de raiva, raiva de mim mesma, de tudo o que eu quero acreditar e do final feliz que sempre sonho e idealizo, mas que as vezes parece inexistente.
De uma coisa eu sei, meu final feliz está nos braços do Pai, quando Ele vier, e sendo totalmente egoísta agora, desejo ardentemente e desesperadamente por isso!
Ah! Agora sim!
Depois de algumas palavras sinto-me bem mais aliviada, mas, quanto aos sentimentos e palavras melancólicos, eu sei que haverão mais, mas hoje não, agora não, preciso de um tempo pra me amar mais!

Sim...

...eu te procuro mesmo sem ter o que falar simplesmente por querer ouvir a sua voz, ter a sua atenção e perceber que seu olhar para mim não mudou, continua o mesmo apaixonado.
Há quem diga que isso seja uma forma de humilhação, eu não, não tenho essa visão, porque ainda sou uma velha apaixonada e não abro mão de momentos assim, em que eu tenho a plena convicção de que somos felizes, nos fazemos felizes, cada um ao seu modo com seu sentimento e seu olhar, cada um feliz a seu modo e a seu tempo, melhor que isso, felizes ao tempo de Deus.
E agora sei que é diferente, é novo, como se fosse um novo começo de uma história que já existia...
Sim...eu acho que eu gosto mesmo de você, mas ainda há mudanças, ainda há tempo, ainda existirão muitos eu te amo com os olhos...

sábado, 19 de janeiro de 2013

Quando ela o vê não pensa no que passou, não pensa no que sofreu, não o olha com olhos acusadores nem perturbadores...
Ela simplesmente sente, como se diante dela estivesse alguém desconhecido que ela tivesse um sentimento antigo e intenso, por mais guardado e reprimido que estivesse, era íntegro, era limpo, pois era cuidado, preocupação, era o querer chegar mais perto e olhar nos olhos mas a prudência gritando para que não, para que se tornasse mulher, pois a fase de menina já passara...
Como alguém que ela não conhecia, ele estava lá na frente dela com aquele olhar diferente, ele sempre a conheceu, mas precisaria se apresentar, conquistar sua confiança e pedir a Deus para tê-la...
Enquanto isso ela ali, sentada no banco e a predominância da indiferença por fora...


terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Eu me sinto muito bem, eu guardo só lembranças boas, eu procuro ver somente o que fará meus olhos sorrirem eu lembro de tudo com aquele sorriso no canto dos lábios...
Não foi sempre assim, confesso que lutei para não esquecer minha essência, mas Deus sempre me carregou nos braços, então nunca corri risco de cair.
Por mais que tudo tenha acontecido dessa forma eu sinto a verdade em seus olhos, e isso me conforta.
Não sei exatamente qual verdade, mas sendo verdade já é um bom começo...

Opção Indiferença

Eu vejo aquele olhar, quase sempre sem querer de encontro ao meu, eu me sinto neutra, não sei se anestesiada ou se realmente prefiro convencer meu coração de que não vale mais a pena bater forte nem se manifestar de qualquer outra forma que não seja amar pelo amor de uma alma...
Nunca sei no que devo acreditar, se devo acreditar em algo que não seja somente a minha certeza aqui, intensa, pensando no que seja verdade ou mentira, no que há ou não há, e diante desse turbilhão eu prefiro não pensar, aí opto pela anestesia da indiferença.
Ouvi dizer que não é o Amor e o Ódio que andam juntos mas o Amor e a Indiferença, não sei...
Amor? Seria ainda, restaria ainda?
Pois a indiferença existe, ela me ajuda muito, ela me anestesia e o melhor de tudo é que ela é recíproca quase sempre, então, tenho a opção de querer ou não me preocupar, saber, ouvir, pra daí então, amar, sofrer, chorar... Opto pela reciprocidade da indiferença e continuar desinformada de qualquer ação, me alegrando (o que é pouco provável) ou não, pelo menos estou aqui e tenho minhas palavras digitadas pra poder falar.
Quem lê eu não sei, que gosta muito menos, eu sei que o meu maior prazer e poder dizê-las.
Se um dia você ler não diga a ninguém, ou não que eu saiba, não escondo de ninguém, pelo contrário a minha necessidade é publicar meus sentimentos, porém, prefiro continuar na opção Indiferença...

Rastros

Eu quero deixar bem claro que aqui é o lugar onde eu expresso os meus mais sinceros sentimentos, aqueles escondidos bem lá no fundo do peito, onde os olhares, os princípios, os valores não são capazes de descrever, aqueles que podemos ler e nos identificar, por tentar ser o mais simples possível nas palavras. Mas falar sobre sentimentos é complicado, principalmente quando vem de nós mesmos, as vezes eles são tão misturados tão confusos, estes, eu aprendi que devemos entregar nas mãos do Pai, pois qualquer tipo de confusão não provém Dele.
Estes aqui são ditos com todas as certezas que foram intensos, ou são, aí fica por conta de quem os lê, eu não me exponho a tal ponto...
Intensa é a maneira que eu encontro para conseguir por pra fora tudo isso, intensa e inteira, eu sempre fui, sempre sou em tudo o que sinto, e graças a Deus isso me tem rendido muitos desabafos que eu não consigo expressar através de palavras ditas, faladas. Desabafos saudáveis, não critiquem, eu sou cristã sim, mas nem por isso preciso viver guardada dentro de uma caixinha de acrílico sem jogar pra fora o que sinto, porque por mais que eu sofra por ser tão intensa, eu também sou intensamente feliz e intensamente grata ao meu Pai por me dar essa arma contra qualquer tipo de emoção acumulada que me cause mal...
O que está aqui sim, qualquer um pode ver, pode se identificar, mas ainda não é tudo que sou, não se tratam apenas de palavras, mas de verdades, porém, a minha maior verdade é a Palavra daquele que me criou e tem me ensinado a cada dia acerca dos sentimentos e emoções, meu Rei Jesus, Ele sim me conhece por completo, todas as minhas verdades, dores, medos, anseios, tudo além do que eu descrevo...
Eu estou aqui como parte de pessoas que não conseguem dizer por si mesmas, eu to aqui como alguém que sente, que vive, que ama, e se depois de todo este texto eu não admitir que Deus me deu essa missão serei hipócrita, pois até aqui consegui de maneira simples (ou não) expressar tudo o que estou sentindo, a verdade do meu peito, objetiva, meio confusa, porém, intensa...

sábado, 12 de janeiro de 2013

More than words...

Eu não me arrependo de ter sido ingênua  de ter doado o máximo de mim, de ter entregado meu coração inteiro e oferecido o meu amor por completo, as vezes até deixando muitos conceitos e mudando muita coisa por causa disso, sendo o que eu mesma não seria se não houvesse tal sentimento.
Tudo para agradar, melhoras em benefício do outro, amar sem medida, sem interrogação nem ponto final, apenas surpresas de exclamação e reticências que sejam eternas...
É isso que eu tenho pra dizer, não me arrependo de tudo o que fiz, vivi, sofri, pois em minha consciência eu mantenho intacta e quieta a certeza de que não foi por falta de sentimento nem de tentativas para que desse certo, e, digo sim, se não deu a culpa não foi minha.
Não me arrependo de ter amado sem medida e me preocupado até as vezes com sentimento materno, de ter zelado, cuidado e de ter medo de perder a ponto de querer segurar com unhas e dentes e lutar por quem nunca foi meu de verdade.
Não me arrependo de gritar aos ventos e postagens o meu sentimento, a minha transparência, a minha inquietação.
Eu sou assim, intensa, eu não escolhi ser assim, mas sou e dou o melhor de mim pra ser com verdade, pra agir com verdade e viver na verdade.
Tudo o que fiz por amor eu não me arrependo, pois esse é o maior dom que Deus me deu, amar, e tudo o que faço em benefício desse sentimento de obedecer esse mandamento eu não me arrependo, as vezes pode até doer e exigir menos de mim, menos ações e palavras, mas por esse sentimento meu coração pula e meus sentimentos gritam no silêncio da minha voz.
Tudo o que sei é que amei, é que não pesa sobre mim nenhum sentimento de culpa e que por mais que doa a circunstância presente, meu coração se fortalece, porque sei o que há pra mim, e quanto ao sentimento que dissera antes, acho que ele está aqui dentro, se realmente estiver, está sendo tratado, como um preso que paga pelos seus crimes e sofre na cadeia, está aqui sofrendo por ter sido tão intenso, porém se fortalecendo e aprendendo como se faz pra não se enganar da próxima vez.
Quando for solto talvez suma, talvez continue fazendo seu trabalho, só o que sei é que estarei preparada para continuar sendo intensa e me doando ainda mais, porém disponível para receber também,. para ser amada também, para ser recíproco tudo o que tiver de mim.



LinkWithin

Espalhe por aí