Páginas

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Pouca coisa...

Eu não quero ser dona de toda atenção, nem reter todo o seu carinho, eu só quero que perceba minha presença, que o momento que eu não estou e o que estou sejam realmente diferentes pra você...
Eu não quero romantismo, nem flores, só que derrepente um "você é especial" ou um "muito importante pra mim" já faria uma enorme diferença, já seria o motivo pelo qual aquela conversa valeria a minha noite inteira...
Eu não quero um encontro marcante com jantar a luz de velas, apenas um "oi" seguido de um abraço longo e sincero seria o suficiente pra tornar o momento inesquecível, sem precisar de qualquer toque de malícia...
Eu não quero ciúme, só uma demonstração de agrado, um sorriso talvez, sem palavras de açoite, sem irritação e orgulho isignificante...
Eu só quero pelo menos uma vez a sinceridade pronunciada de teus lábios, deixar de lado seu orgulho e a vontade indescritível de me irritar, seu medo de achar que posso te comprometer ou sua ignorância diante do fato de pensar que sou menina, quando na verdade encontra-se diante de ti uma mulher, segura de seus desejos, que te afirma com toda a certeza, a paixão pode sim acontecer, mais a ilusão só vem com permissão, e essa não será bem vinda...
E, por incrível que pareça, eu sei da sua total ciência a respeito de tudo que foi dito e sei também que não existe mudança, ou talvez sim, eu sei que pode acontecer muitas coisas a respeito, inclusive minhas vontades, mais também sei que pra isso acontecer precisaria vir a tona sua sinceridade e necessidade de expressão...


(...continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Espalhe por aí