Páginas

terça-feira, 14 de agosto de 2012

A morte

A morte aproxima as pessoas.
Isso mesmo, você não leu errado, a morte aproxima as pessoas, umas a tanto tempo longe de outras, que só são capazes de se reaproximarem por esse motivo, a morte!
Quantas vezes já nos deparamos com a família inteira reunida em um velório de um ente querido, quantas vezes já vimos acontecer reconciliações, fatos que pareciam impossíveis de acontecer virem a se tornarem realidade por causa da morte...
E o que isso tem a ver comigo? O que eu posso aprender com esse assunto de morte?
Da mesma forma que a morte do corpo físico, de uma forma triste, nos permite viver experiências impossíveis, assim também a morte para nós mesmos nos permite viver em novidade de vida.
A Bíblia diz em Romanos 6:4 que fomos sepultados com Ele em sua morte, e assim como Ele ressuscitou também vivamos em novidade de vida.
Não esperemos pois a morte do corpo físico acontecer para podemos ver o impossível acontecer, para nos aproximarmos de Deus, mais como Cristo morreu na cruz por nós, também morramos como Ele para nós mesmos, e esta morte é uma morte como qualquer outra, pois não é fácil, significa morrer para o pecado que é nada menos do que renunciar á aquilo que achamos ser bom, mas que na verdade é simplesmente a satisfação da nossa carne, e quem satisfaz sua carne não pode agradar a Deus (Rm 8:8).
Morramos então para o pecado assim como Jesus morreu por nossos pecados, sejamos crucificados como Ele e ressuscitemos para a vida de Cristo, como Ele ressuscitou e vive a direita do Pai, vivendo em novidade de vida, não mais pela nossa carne mais como um corpo instrumento de Deus, e sejamos cheios do Espírito Santo, permitindo assim que nos reconciliemos com O Pai e vivamos o impossível.
Assim como a morte física dói mais tem o poder de aproximar as pessoas assim é a nossa morte para nós mesmos, dói, pois a renuncia é necessária dia a dia, no momento em que deixamos de nos apegar nas coisas deste mundo e nos tornamos completamente dependente do Pai.
A diferença entre a morte física e espiritual, é que a morte física sempre vai deixar saudades de quem se foi, e a morte espiritual não, pelo contrário, tendo morrido para nós mesmos, para o pecado, mesmo com a dor da renúncia, não haverá vestígio nenhum de saudade do velho homem, pois viveremos em novidade de vida, e quem está a nossa volta verá o quanto isso é bom, e desejará também essa nova vida em Cristo.
Pois, quando vivemos para Cristo, vencemos a morte como Ele mesmo venceu ao ressuscitar, e não tememos mais a ela, pois sabemos que como Cristo está a direita do Pai, assim também estaremos quando a morte física vier, sendo ela lucro, pois poderemos viver em alegria eterna nos braços do Pai.
"Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. "  Filipenses 1:2

Vivamos, pois como Cristo, sejamos crucificados para o pecado, morramos para nós mesmos e ressuscitamos como Ele ressuscitou  e está a direita do Pai, vivamos em novidade de vida e nosso corpo como instrumento, para que quando o tempo aqui nesta terra acabar, possamos estar felizes em ir para O Pai e viver em alegria eterna.


Para estudar melhor leia Romanos do 5 em diante.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Espalhe por aí